Reaper of Souls está chegando. Saiba o que esperar da primeira expansão de Diablo III.

Reaper of Souls está chegando. Saiba o que esperar da primeira expansão de Diablo III.

Amanhã é o grande dia do lançamento de Reaper of Souls, primeira expansão de Diablo III e você pode estar se perguntando se vale mesmo a pena cair de cabeça nessa nova aventura.

Se esse for o seu caso, eu entendo a sua dúvida. Diablo III existe há quase 2 anos e depois de um início bastante conturbado, repleto de bugs, exploits, problemas com bots, muitas mudanças, ajustes, nerfs e a famosa/finada Auction House, que já rendeu muitas páginas de discussão nos fóruns, é natural que haja uma certa desconfiança sobre Reaper of Souls.

A seguir, vamos conversar sobre as novidades, os motivos que me deixam empolgado sobre o futuro da franquia, se você deve ou não comprar essa ideia e as possibilidades daqui para frente.

Patch 2.0.1

Loot 2.0

Antes de falar da expansão, temos que falar do patch 2.0.1, pois é ele quem dá o tom de Reaper of Souls. Nessa atualização, foram incluídos uma série mudanças nos sistemas fundamentais do jogo, que abrirão caminho para muitas das melhorias que serão implementadas na expansão.

Além dos ajustes de balanceamento de classe e do sistema de clans e comunidades (veja aqui o patch notes completo), as mudanças mais notáveis são mesmo os chamados Loot 2.0 e Paragon 2.0.

No novo sistema de Paragon, não há level cap e o seu Paragon Level é compartilhado entre todos os personagens da sua conta, o que significa que você pode jogar com qualquer herói sem ter aquela sensação de tempo perdido. Cada Paragon Level resulta em um ponto disponível, que pode ser alocado em diferentes atributos como Critical Hit Damage, Movement Speed, Resist All, entre outros.

Paragon 2.0

Já o Loot 2.0 trouxe a tão esperada revisão da itemização, separando os affixes em primários e secundários, estreitando as faixas de roll e direcionando os itens para o herói que você estiver jogando (o chamado Smart Loot). A grosso modo, isso tudo quer dizer que você idealmente, na maior parte do tempo, não verá mais Crossbows com Strength, armas One-Hand com 300 dps ou Wands com 50 Intellect. Teoricamente, isso tudo acaba sendo nivelado para cima com o Loot 2.0.

Outra feature notável do patch 2.0.1 é a parte de Clans e Comunidades, que promete expandir as funções sociais do jogo. Ainda é um sistema simples mas é um começo.

Diablo Clans e Comunidades

Reaper of Souls

Agora sim, a parte que interessa! Além das novidades citadas acima, Reaper of Souls acrescenta a Diablo III um novo ato, novos inimigos, novos cenários, um novo último chefe, uma nova classe jogável e, na minha opinião, a melhor features de todas: um novo modo de jogo chamado Adventure Mode. Vamos explorar cada um desses tópicos a seguir e qual foi a minha experiência com cada um deles durante o beta.

Ato V

Sobre o novo ato trazido pela expansão, acho válido fazer um ajuste de expectativa aqui: pela minha experiência no beta de Reaper of Souls, o novo ato é curto. Isso não quer dizer que seja menos intenso ou divertido, mas não espere um novo jogo inteiro em termos de duração.

Ambientação, cenários, inimigos e o novo vilão

Reaper of Souls Ato 5

Reaper of Souls mudou bastante o visual de Diablo III. O jogo ficou mais escuro, mais sinistro e bem mais evil. Desde um dos primeiros becos do ato 5, com dezenas de corpos empilhados até os pântanos de Westmarch e seus inimigos bizarros, os cenários de Reaper of Souls são mais adultos, mais elaborados e contém uma série de novos eventos randômicos, elemento tradicional da série, pouco explorado em Diablo III e muito requisitado pelos fãs.

Falando em inimigos, os novos demônios são um show à parte. Deu para ver que a Blizzard dedicou bastante tempo na criação dos novos monstros de Reaper of Souls, não apenas no visual mas também no comportamento único de cada um deles. Pela primeira vez em Diablo III, é preciso um pouco mais de estratégia antes de engajar as hordas inimigas. Por exemplo, matar um inimigo específico no meio do bando antes dos outros, enfraquece os restantes e facilita bastante a progressão. Nada muito complexo, é verdade, mas ainda sim, a novidade é bem-vinda.

Diablo Reaper of Souls

Já o novo vilão Malthael, o anjo da morte, não deu as caras durante o beta. A luta foi mantida em sigilo até agora e foi mostrada pela primeira vez no último trailer revelado alguns dias atrás, onde podemos ver apenas alguns flashes do que será o confronto final de Reaper of Souls.

Crusader

Diablo Crusader

A nova classe jogável de Reaper of Souls, o Crusader, é bem interessante. Uma mistura de Barbarian e Paladin, baseado em Strength e com várias spells de médio alcance. Por design, o Crusader utiliza sempre um escudo e uma arma, que pode ser One-Hand ou Two-Hand, através de uma de suas Passive Skills. Falando em armas, assim como as outras classes, o Crusader também tem o seu tipo de arma específica: as Flail Weapons. O visual do Crusader é realmente muito bonito e se destaca em meio às outras classes. Um Crusader bem equipado dá a impressão de ser um verdadeiro tank humano, pronto para chutar bundas a qualquer hora do dia.

A minha experiência com o Crusader durante o beta foi um pouco dividida. Durante a maior parte do período de testes, jogar de Crusader foi um prazer absoluto, pulando no meio de grupos de demônios e destruindo cada um deles com spells em área, martelos voadores e porradas violentas. Porém, já quase no final do beta, uma série de nerfs deixaram o meu poderoso Crusader bastante debilitado, o que me fez temer pelo seu futuro.

Concluindo, o visual do Crusader é único e as possibilidades são bem interessantes. Resta saber como vai ficar o balanceamento e a performance da classe em um cenário real.

Adventure Mode, a peça que faltava em Diablo III

Diablo Adventure Mode

Finalmente chegamos a parte mais importante de Reaper of Souls. Adventure Mode é o novo modo de jogo que vai mudar a forma de jogar Diablo.

Uma das reclamações que eu mais ouço a respeito de Diablo é que o jogo é muito repetitivo. Sem objetivos claros, eu até concordo que possa parecer assim. Quem joga frequentemente sabe que o investimento de tempo é necessário para conseguir itens bons, principalmente legendaries, mas quem joga de forma mais casual, pode não entender isso de forma muito clara.

O Adventure Mode torna o farm extremamente prazeroso e divertido adicionando Bounties e Rifts às suas runs. Ao invés de escolher um ato e ficar rodando por ele matando inimigos sem rumo, o Adventure Mode cria 5 bounties por ato, cada uma em seu waypoint específico. Essas bounties são missões, que podem ser desde completar um evento até matar um determinado champion no mapa. Ao completar a tarefa, você ganha gold, xp e uma bag com loot. Ao finalizar as 5 bounties de um ato, você pode se transportar diretamente para qualquer waypoint de outro ato, sem ter que criar uma nova partida e continuar a aventura.

Cada bag é composta por gold, itens, materiais de craft e um pedaço de Rift Key. Ao completar as 5 bounties de um ato, você pode juntar os 5 pedaços que conseguiu para formar uma Rift Key. Essa key é usada para abrir um Rift, um portal que leva para uma dungeon completamente maluca, com combinações totalmente bizarras, que garante uma experiência única e com um chefe final, que pode aparecer em qualquer ponto do level. Quer ter uma idéia? Imagine lutar contra inimigos do ato 2 na Cathedral do ato 1 junto com o Rakanoth, boss do ato 4. Sim, isso já aconteceu comigo durante o beta e é isso que você pode esperar dos Rifts. Ao derrotar o chefe, chamado de Rift Guardian, você também ganha xp, gold e itens. Ah, vale lembrar que os Rifts, além de randômicos, podem ter vários níveis, cada um com uma combinação diferente. O maior que eu vi durante o beta tinha 8 níveis, um mais maluco que o outro. Existe até a possibilidade de se obter níveis com packs de Goblins!

Reaper of Souls Rift

Mas e aí? Vale a pena?

Reaper of Souls é uma verdadeira transformação do jogo lançado há 2 anos. Na minha opinião, ele não só introduz conteúdo novo, mas também cria uma base sólida daqui para frente e corrige uma série de erros cometidos no jogo original.

Fãs do jogo com certeza vão apreciar as novidades e jogadores novos ou que tenham deixado o jogo de lado durante desde o lançamento vão encontrar um Diablo mais acessível e divertido.

Respondendo a pergunta lá do começo do post, se você deve dar uma nova chance a Diablo III e apostar em Reaper of Souls? A resposta é SIM.

Se você ainda não garantiu a sua cópia de Reaper of Souls, as edições Standard e Digital Deluxe estão disponíveis online na Battle.net Shop. Compre já!

Tags: , , , , , , , , , , ,

Nenhum comentário para este post. Seja o primeiro!

Deixe um comentário